MOSTEIRO DA BATALHA CAPELA DO FUNDADOR

My Image

VISITA VIRTUAL 360º

Tumulo de D.João I e D.Filipa de Lencastre

Na parte central temos o túmulo conjugal do rei fundador, D. João I e de D. Filipa de Lencastre assente sobre oito leões. Este túmulo pertence a um novo “tipo” de túmulos, em que existe a tendência para um maior naturalismo, uma preocupação crescente no que respeita ao tratamento da figura humana; desta forma, este túmulo apresenta as estátuas jacentes do rei e da rainha como se tivessem a ser vistas de cima. O rei é apresentado com a sua armadura de guerreiro e na mão a espada, e a rainha com um manto, com a bíblia numa mão e a outra a segurar a mão do marido (representando, por um lado um a mãe extremosa e cristã e, por outro, uma esposa dedicada). – Este tipo de túmulos conjugais é de influência inglesa.
Este tumulo foi a primeira experiencia de um tumulo conjugal, foi mandado fazer por vontade expressa de D.João I, que se fez representar revestido de armadura completa, assim inovando também no modelo dos jacentes medievais portugueses.

Capela do Fundador

Construida entre 1426-1434 pelo Mestre Huguet, a Capela do Fundador é um dos mais importantes edificios adjacentes ao mosteiro, marca o seu caracter de "Poder Real". D.João I era filho bastardo de D.Pedro I, desejoso de afirmação do poder real, deixando a sua descendência na construção deste Panteão familiar. Na parte central o túmulo conjugal do rei fundador, D.João I e de Filipa de Lencastre. Este túmulo representa um tipo de escultura com mais detalhe e maior naturalismo na na representação da figura humana na parede sul, da esquerda para a direita estão os túmulos dos infantes seus filhos : D.Fernando, D.João e sua esposa D.Isabel de Barcelos, D.Henrique o navegador Duque de Viseu, D.Pedro Duque de Coimbra e sua esposa D.Isabel de Aragão. Na fachada oeste, estão D.Afonso V e sua esposa D.Isabel de Coimbra, D.João II e seu filho o principe D.Afonso.
A planta quadrada dá lugar, ao centro, a um octogono que se eleva a grande altura, constituindo um dossel ou baldaquino glorificador do túmulo duplo de D.João I e de D.Filipa de Lencastre.Temos também 18 janelas, todas elas preenchidas com vitrais. Muitos desses vitrais já são modernos, no entanto, em algumas bandeiras, ainda existem pequenos fragmentos do século XV com escudos de armas, emblemas, divisas, etc.